jusbrasil.com.br
22 de Janeiro de 2019
    Adicione tópicos

    Alerta sobre o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD)

    Direito Legal
    Publicado por Direito Legal
    há 7 anos

    Expediente

    Politicas de Uso

    Contato

    Seja um autor

    terça-feira 04 outubro, 2011 Últimas Notícias> NotíciasPeluso reforça poder de investigação de correg... Mais comentados:

    economicidade

    - reclamações

    - promotor

    - testamento

    - aposentadoria

    - inquilinato

    - câmera

    - exercicios

    - imposto

    Alerta sobre o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD)

    Detran-RJ terá que indenizar motorista

    Não laborou com acerto a decisão do juízo da 1ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, negar gratuidade judiciária é reforma certa

    Brasil Telecom é condenada a indenizar em R$ 10 mil por falha na prestação do serviço

    Cliente que teve linha de celular clonada receberá R$ 8 mil de indenização da BCP, atual Claro

    Notícias

    Tribunais Primeira Instância

    Segunda Instância

    Última Instância

    Artigos

    Eleitoral Política

    Corregedoria

    Turismo

    Saúde

    Tecnologia Internet

    Colunistas Eugênio R Araujo

    Neófito Cursos

    Educação

    Cartilhas/Manuais

    Home

    Arte & Cultura Shows

    Teatro

    Mundo Política

    Meio Ambiente

    Direitos Humanos

    Cinema Televisão

    Vídeos

    Legislativo

    Jornais

    Eventos

    Links Úteis

    Defensorias

    BO Online

    Jurisprudências

    Consumidor

    Livros

    Publicado: terça-feira 04 outubro, 2011 Destaque | Por direitolegal Alerta sobre o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) Divulgar

    ,300)>)();', '', 'toolbar=yes, location=yes, directories=yes, status=yes, menubar=yes, scrollbars=yes, resizable=yes, top=0px, left=0px');" id="fontLink">

    Tags doaçãoimpostoITCMDosé Roberto Martinez de LimaTransmissão Causa Mortis Há algum tempo, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo e a Receita Federal do Brasil têm intensificado a troca de informações com o objetivo de identificar a falta de recolhimento de tributos estaduais, essencialmente do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD). A Fazenda do Estado de São Paulo vem obtendo acesso às Declarações de Imposto de Renda da Pessoa Física – DIRPF entregues pelos contribuintes, nas quais são declarados rendimentos recebidos a título de doação ou herança, que, apesar de estarem isentos do recolhimento do Imposto de Renda no âmbito federal, sujeitam-se à incidência do ITCMD.

    Assim, quando o Fisco Estadual verifica que os valores declarados na DIRPF a título de doação ou herança ultrapassam os limites de isenção do ITCMD, notifica os contribuintes a prestarem esclarecimentos sobre a operação realizada ou já promovem a exigência do referido imposto. Em relação à herança, a ocorrência de problemas é mais difícil, pois o recolhimento do ITCMD é exigido previamente pelo juízo em que se processa o inventário ou pelo cartório no qual é lavrada a escritura pública.

    “Porém, no caso das doações, por serem feitas de modo mais informal e posteriormente declaradas na DIRPF, a ocorrência de problemas é mais comum”, comenta José Roberto Martinez de Lima, da área Contenciosa do L.O. Baptista Advogados.

    No caso, muitas vezes, os contribuintes esquecem da necessidade de recolhimento de tributos sobre doações de bens e dinheiro ou, muitas vezes, acreditam que os bens ou valores transmitidos estariam dentro do teto de isenção previsto na lei estadual, que, segundo a legislação paulista, corresponde a um total anual de 2.500 UFESPs, o que varia de ano para ano, entre R$

    (2006) para até R$

    (2011).

    Com isso, deixa-se de realizar os procedimentos necessários no momento da doação, que começam com a entrega de uma declaração simples feita no site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, com a posterior emissão da guia de recolhimento do tributo devido, cujo vencimento recai na própria data da doação. Essa situação acaba gerando a posterior exigência do imposto que deixou de ser pago, acrescido de pesadas multas e atualização monetária, caso a operação seja identificada pela fiscalização.

    “E, atualmente, esse tipo de fiscalização e autuações tem sido cada vez mais comum, o que demandará um cuidado maior por parte dos contribuintes em relação às doações já efetuadas, bem como às que vierem a ser realizadas, inclusive por meio do auxílio de um profissional, a fim de evitar prejuízos e preocupações desnecessários”, finaliza Lima.

    input, textarea{> #authorarea{ padding-left: 8px; margin:10px 0; width: 635px; > #authorarea h3{ border-bottom: 1px solid #B0B0B0; color: #333333; font-family: georgia; font-size: 19px; font-weight: normal; line-height: 22px; margin:0 4px 5px; padding-left: 8px;> #authorarea h3 a{text-decoration:none; color:#333; font-weight:bold> #authorarea img{margin:0 5px; float:left; border:1px solid #ddd; width:40px; height:40px;> #authorarea p{color:#333; margin:0> #authorarea p a{color:#333> .authorinfo{ >

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)